(Superclasse Pisces)

Ictiofauna do Brasil

Ictiofauna do Brasil

O Brasil possui talvez a maior e mais variada ictiofauna do planeta. São milhares de espécies, sendo inúmeras ainda não conhecidas da ciência.

Só na Bacia Amazônica brasileira calcula-se que existam cerca de 2.000 espécies de peixes. Na Bacia do São Francisco habitam 150 espécies.

Muitas espécies são de extrema importância para alimentação, principalmente das populações ribeirinhas como por exemplo o tucunaré, o jaú, o curimbatá, estes nas águas doce, bem como a tainha, a cavala, a corvina nas águas salgadas.

 

Principais peixes de água doce do Brasil

 

Aruanã-prateado (Osteoglossum bicirrhosum), Família Osteoglossidae

Aruanã-pintado (Osteoglossum leichardti), Família Osteoglossidae

Entre as espécies de aruanã, destacam-se as duas acima que são mais conhecidas. Chegam a 1 metro de comprimento e 2,5 kg. Com escama. Pulam fora d’água para pegar insetos nas folhagens. Distribuem-se pelas bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins.

Cachara ou Surubim (Pseudoplathystoma fasciatum), Família Pimelodidae

Espécie da Amazônico e do Pantanal Mato-grossense que habita os rios, lagoas e igarapés, sendo muito procurado pelos pescadores.

Curimbatá (Prochilodus spp) Família Prochilodontidae

Gênero com espécies (P. affinnis P.lineatus P.marggravii, P.platensis, P.scrofa, , e P.vimboides) que habitam quase todo o Brasil, sendo de valor comercial.

Dourado (Salminus maxillosus), Família Characidae.

Há duas espécies no Brasil. S.maxillosus que se distribui-se na bacia do Prata e S.brasilinsis da bacia do S.francisco, mas devido a caça descriminada que sofreu por se constituir em um peixe de carne saborosa, praticamente não é mais encontrado em muitos rios, onde antes era abundante. Chegam a 1m de comprimento e a 25 kg.

Dourada (Brachplathystoma flavicans), Família Pimelodidae.

Peixe de couro. Mais de 1,5 m. comprimento e 20 kg. Habita a bacia Amazônica chegando inclusive na Colômbia, Peru e Bolívia, sendo um grande predador e de estimado valor comercial.

Jaú (Paulicea lutkeni), Giant Catfish, Família Pimelodidae.

Peixe muito conhecido por sua cabeça achatada e pelo tamanho e peso, pois pode chegar a 1,5 m. de tamanho e 100 kg. de peso. Habita a bacia do Amazônia e do Prata, sendo muito disputado pelos pescadores.

Jurupoca (Hemisorubim plaatyrhynchos), Família Pimelodidae.

Outro peixe de couro muito procurado por sua carne saborosa. Habita as bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins e do Prata. Alcança 60cm de comprimento e 3 kg.

Matrinxã (Brycon sp), Família Characidae.

Vive nos rios e lagos da amazônica. Grande valor para a pesca amadora. Chega a 80cm de comprimento e a 5kg.

Pacú (Piaractus mesopotamicus), Família Characidae.

Habitante da bacia do Prata, é um dos peixes mais procurados pela sua carne e sua fácil procriação em cativeiro, podendo chegar a 50cm de comprimento.

Pintado ou Pirá (Pseudoplatystoma corruscans), Speckled Catfish, Família Pimelodidae.

Peixe de couro muito procurado por sua saborosa carne. Habita as bacias do Prata e do S.Francisco. A cabeça grande e alongada caracterizam-no.

Piraíba (Brachyplathystoma filamentosum), Família Pimelodidae.

A piraíba é o maior peixe de água doce do Brasil, podendo chegar ao peso de 300 kg. Habita as bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins. Peixe de couro.

Piranhas (Serrasalmus rhombeus e Pygocentrus nattereri), Família Characidae.

Distribuim-se do norte da Amazônia até o Rio Grande do Sul, sendo peixes temíveis pela sua voracidade, principalmente se o cardume é grande. Sua carne é muito apreciada pelos ribeirinhos, assim como a “sopa de piranha” que diz o dito popular que é afrodisíaca. S.rhombeus é a piranha-preta (40cm) e a P.nattereri a piranha-vermelha (30cm).

Pirapitanga (Piaractus brachypomus), Família Characidae.

Muito utilizado comercialmente e na pesca esportiva, este peixe de escama existe na Bacia Amazônica e na bacia do Tocantins-Araguaia. Chega a 80cm de comprimento e a 50 kg.

Piraputanga (Brycon microleps. B.lundii  e B.hilarii), Família Characidae.

Peixe muito procurado por pescadores. As três citadas espécies habitam a bacia do Prata (B.microlps) e a do S.Francisco (B.hilarii e B.lundii).

Trairão (Hoplias lacerdae)

Em rios, lagos e lagoas das bacias Amazônica, Araguaia-Tocantins e do Prata.

Tucunaré (Cichla sp)

Peixe dos mais populares entre os pescadores amadores, visto que está disseminado em muitos lagos e rios deste país, introduzido que foi, além do que é um “excelente brigador no anzol”. Origem: Amazônia. Carne muito apreciada.

 

Alguns peixes de água salgada

 

Badejo (Mycteroperca spp)

Um dos peixes mais apreciados como alimento. Habita regiões onde há tocas, principalmente nos costões rochhosos e recifes de corais.

Caranha (Lutjanus cyanopterus)

Apesar de não ser um peixe muito procurado como alimento, é famoso por sua voracidade e como peixe de pesca esportiva, ante sua resistência e força nas mandimbulas que chega a destroçar iscas artificiais de madeira.

Corvina (Micropogonis furnieri)

Peixe muito apreciado na culinária brasileira e na pesca amadora.

Dourado-do-mar (Coryphaena hippurus)

Apesar de pouco conhecido como alimento, este peixe tem a carne das mais saborosas. Com até 40 kg, chega a atingir até 2 metros. Vive m cardumes em alto-mar, aproximando da costa para se reproduzir.

Garoupa (Epinephelus guaza)

Por ter carne muito saborosa este peixe é um dos mais utilizados como alimento. Por ser  um peixe que habita tocas e não faz migrações, bem como pelo seu tamanho (até 2 metros), foi e é muito caçado, tendo desaparecido de muitos pontos do litoral brasileiro.

Robalo (Centropomus spp)

No litoral brasileiro são encontradas quatro espécies de robalo. Para muitos pescadores o robalo é o “rei dos rios”, isto porque sobe os rios par desovar e sua carne é considerada de primeira.

Pescada (Cynoscion spp)

Ocorrem no Brasil cerca de 30 espécies de pescadas. Todas muito procuradas como alimento. Aliás, é um dos peixes mais comuns na culinária brasileira.

Tainha (Mugil brasiliensis)

Talvez o peixe mais comum nas culinárias regionais brasileiras. Vive em grandes cardumes e são pescados em abundância certas épocas do ano, quando entram nos estuários para procriar.

Há muitos outros peixes como os marlins, os mero, as anchovas etc

Temas Gerais

Temas Gerais Variados

Biblioteca

  • Atividades
  • Expediente
  • Mais de 20 anos de existência
  • Parceria / Apoio
  • Registros por espécie/Records by species
  • Sons da Natureza/Sounds of Nature
  • Videos

Warning: implode() [function.implode]: Invalid arguments passed in /home/storage/5/7c/30/aultimaarcadenoe/public_html/wp-content/plugins/wp-dynamic-meta-keyword-and-description-for-wordpress/wp-dynamic-meta-keyword-description.php on line 21