Informações

- Papel Toalha: 2 a 4 semanas;
Caixa de Papelão: 2 meses;
- Palito de Fósforo: 6 meses;
Restos de Frutas: 1 ano;
- Jornal: 6 meses;
Fralda Descartável: 450 anos;
Fralda Descartável Biodegradável: 1 ano;
Lata de Aço: 10 anos;
Lata de Alumínio: não se corrói;
Bituca de Cigarro: 2 anos;
Copo Plástico: 50 anos;
Garrafa Plástica: 400 anos;
Camisinha: 300 anos;
Pedaço de Madeira Pintada: 13 anos;
Bóia de Isopor: 80 anos;
Linha de Nylon: 650 anos;
Vidro: tempo indeterminado;
Lixo radioativo: 250 anos ou mais.

Extraído da Suplemento Praia & Cia. do Jornal “A Tribuna de Santos”- SP (janeiro/ 02)

 

BIOCONVERSÃO

Uma das metodologias científicas que vem sendo desenvolvida é a bioconversão, que é a transformação de alimentos já descartados para o consumo em novas fontes protéicas, possibilitando o enriquecimento da alimentação humana e animal, evitando-se o desperdício dos alimentos. Pela bioconversão é possível produzir alimentos alternativos para serem utilizados em outros produtos.

RECICLAGEM DE PNEUS INSERVÍVEIS

Segundo órgãos especializados, nosso país já produziu mais de 860 milhões de pneus, dos quais muitos milhões são descartados de modo inadequado e acabam criando grandes problemas para a Administração Pública e em termos de saneamento. Tem-se procurado a reciclagem dos pneus chamados inservíveis e, inclusive, a Resolução CONAMA 258/ 99, disciplina o destino a ser dado a estes pneus. Os pneus inservíveis podem ser utilizados como tapetes e parachoques de automóveis, coombustível de cimenteiras, solados de calçados, asfaltamento etc. Interessante é que o pneu triturado pode ser utilizado como combustível alternativo para as cimenteiras, gerando mais kcal (quilocaloria) do que o próprio carvão.
Portanto, os programas de reciclagem dos pneus descartados devem ser incentivados por se constituírem em uma excelente fonte de outros produtos, ao mesmo tempo em que se estará diminuindo a degradação ambiental.

RECICLAGEM DE ENTULHO

Reciclagem é a solução para o problema dos chamados resíduos inertes, ou seja o entulho.
O material mineral é separado e reciclado utilizando-se o agregado na pavimentação.
A gestão de entulho vem sendo experimentada me Belo Horizonte e há uma iniciativa-modelo também em São Paulo, conforme consta na reportagem
Reciclagem é parte da solução para o entulho, de Jô Azevedo (Gazeta Mercantil, Grande São Paulo, 26.6.01)

A decomposição dos resíduos

Papel: 3 a 6 meses
Jornal: 6 meses
Palito de madeira: 6 meses
Toco de cigarro: 20 meses
Nylon: mais de 30 anos
Chicletes: 5 anos
Pedaços de pano: 6 meses a 1 ano
Fralda descartável biodegradável: 1 ano
Fralda descartável comum: 450 anos
Lata e copos de plástico: 50 anos
Lata de aço: 10 anos
Tampas de garrafa: 150 anos
Isopor: 8 anos
Plástico: 100 anos
Garrafa plástica: 400 anos
Pneus: 600 anos
Vidro: 4.000 anos

Produtos recicláveis

Alumínio: latas de bebidas e embalagens em geral
Metal: latas de alimentos
Papel: caixas, cartazes, folhas de caderno, embalagem longa vida, jornais, revistas, papel de fax
Plástico: garrafas de refrigerantes, frascos de amaciantes, baldes, copos descartáveis, potes para iogurte, embalagens de massa e biscoito, copos de água mineral
Vidro: garrafas de bebidas, frascos de cosméticos, potes de conservas

Produtos não recicláveis

Metal: clips, grampos

Papel: papel carbono, fita crepe, etiquetas adesivas, papéis plastificados, fotografias

Plástico: tomadas, embalagem de biscoitos

Vidros: espelhos, lâmpadas

Produção de lixo domiciliar por país (kg/dia)

Estados Unidos: 3,2
Itália: 1,5
Holanda: 1,3
Japão: 1,1
Brasil: 1
Grécia: 0,8
Portugal: 0,6

Lixo Espacial

Conforme divulgado na mídia, a poluição está atingindo o espaço.
Trata-se de uma nova forma de lixo, que vem preocupando os especialistas em assuntos espaciais, são os objetos deixados no espaço pelos astronautas ou restos de aeronaves ou de satélites artificiais que ficam circulando na órbita da Terra, colocando em perigo os satélites em funcionamento, os ônibus e estações espaciais, uma vez que a colisão mesmo com pequenos objetos como uma ferramenta, pela velocidade que desenvolve, pode causar um impacto devastador.
O que preocupa também no noticiado é que o ser humano também está poluindo perigosamente o meio ambiente espacial, não se contentando apenas em poluir o ambiente em que vive.
Até onde chegaremos?

Baseado na notícia veiculada no Jornal Folha de São Paulo- Caderno Folha Ciência, pg. A-16, de 21/03/2001.

 

O que fazer para diminuir o problema do lixo?
Evitar comprar mercadorias com excesso de embalagem;
Diminuir o uso de papel;
Reutilizar mais itens de produtos, como roupa, papel e livros;
Se possível, comprar sempre produtos reciclados;
Reciclar o maior n de itens de produtos;
Evitar eliminar produtos que contenham substancias tóxicas em locais inadequados, procurando entidades que utilizam e reciclam tais produtos;
Pressionar as indústrias e o comércio para que implementem medidas de redução da poluição por dejetos;
Pressionar os políticos, legisladores e autoridades para que criem e desenvolvam leis e projetos de diminuição de dejetos irregulares;
Pressionar os meios de comunicação para que cobrem das autoridades e empresas uma correta atitude ambientalista em relação à questão do lixo;
Participar de programas de educação ambiental relativos ao tema.

 


Temas Gerais

Temas Gerais Variados

Biblioteca

  • Atividades
  • Expediente
  • Mais de 20 anos de existência
  • Parceria / Apoio
  • Registros por espécie/Records by species
  • Sons da Natureza/Sounds of Nature
  • Videos

Warning: implode() [function.implode]: Invalid arguments passed in /home/storage/5/7c/30/aultimaarcadenoe/public_html/wp-content/plugins/wp-dynamic-meta-keyword-and-description-for-wordpress/wp-dynamic-meta-keyword-description.php on line 21