A praia e o Anhangá

A PRAIA E O ANHANGÁ

O mar buliçoso

Bate a praia formidável

Mostrando-se formoso

Belo e incansável

A espuma branca

Dissolve-se na areia

Como em era prisca

Com beleza que permeia

A marola me acalma

Deixando em minha alma

A certeza de viver

Com isto passo a crer

Que vive bem pra lá

O temido Anhangá

——————————————–

Antonio Silveira. 17 de janeiro de 1995.

Paraty – RJ

(www.aultimaarcadenoe.com.br – Publicação on line em 03.4.2013)

Temas Gerais

Temas Gerais Variados

Biblioteca

  • Atividades
  • Expediente
  • Mais de 20 anos de existência
  • Parceria / Apoio
  • Registros por espécie/Records by species
  • Sons da Natureza/Sounds of Nature
  • Videos
javaversion1