Corujas do Brasil

Como sabemos o Brasil é o país de maior biodiversidade do mundo, e um dos maiores em quantidade de espécies de aves, de maneira que nossa avifauna é muito rica compondo-se de muitas famílias com uma enorme quantidade de espécies.
Quanto as corujas, possuímos 34 formas entre espécies e subespécies, as quais seguem abaixo:

A presente lista das corujas foi feita com o intuito de colaborar com os observadores de aves (birdwatchers).

FAMÍLIA TYTONIDAE
- Tyto alba (Suindara ou Coruja-branca; Barn Owl). Ave cosmopolita que ocorre em quase todo o mundo, existindo em todo o Brasil. Vive, principalmente, próximo as habitações humanas, onde costuma nidificar nos campanários e torres. A voz parece o som de rasgando um pano, que emiti normalmente em vôo. Tamanho: 37 cm.
Duas formas no Brasil:
- Tyto alba tuidara. Esta forma ocorre no Brasil oriental e central. Para o sul até a Terra do Fogo e oeste, no Chile.
Tyto alba hellmagri. Ocorre no leste da Venezuela e Guianas e do norte extremo à margem esquerda do rio Amazonas.

FAMÍLIA STRIGIDAE
- Bubo virginianus (João-curucutu;Great Horned Owl). Ocorre em todo o Brasil,  sendo a maior coruja das Américas. Alimenta-se de animais de porte avantajado como: filhotes de cutias, gatos, preás etc. De dia dorme na mata em grandes árvores, a noite costuma aproximar-se das habitações humanas existentes em locais ermos, para apanhar pequenos animais domésticos. Muito encontrada, aos casais, nos capões da região da Nhecolândia-MS. 52 cm. Duas formas:
- Bubo virginianus nacurutu. Ocorre na América do Sul. No Brasil na Amazônia, Mato Grosso, Goias e R.G.do Sul.
- Bubo virginianus deserti. Esta forma habita a região árida do nordeste do Brasil.
- Pulsatrix perspicillata (Murucututu-cara-branca; Spectacled Owl). Habita matas altas, não sendo apenas noturna. Tamanho: 48 cm.
- Pulsatrix perspicillata perspicillata. Parte norte da América do Sul e do Brasil. Regiões de florestas densas
- Pulsatrix perspicillata pulsatrix. Habita a faixa atlântica florestada da Bahia ao Rio Grande do Sul.
- Pulsatrix koeniswaldiana (Corujão-mateiro;Tawny-browed Owl). Habita  regiões de florestas do sudeste do Brasil. Tamanho: 44 cm.
- Asio stygius stygius (Mocho-diabo; Stygian Owl). Habita matas e cerrados. Ocorre no Sudeste e Amazônia. Tamanho: 38 cm.
- Asio flammeus suinda (Coruja-do-banhado;Short-eared Owl). “Orelhas” muito curtas e próximas. Ocorre no Sul e Sudeste do Brasil até a Terra do Fogo. Habita banhados onde costuma planar e áreas abertas ao migrar. Tamanho: 37 cm.
- Lophostrix cristata cristata (Corujão-de-topete;Crested Owl). “Orelhas” longas em formato de um V. Ocorre da Venezuela à Bolívia, norte de Mato Grosso e Pará. Habita matas da Amazônia. Tamanho: 39,5 cm
- Cicaba huhula (Coruja-preta; Black-banded Owl). Tamanho: 35 cm.
- Cicaba huhula huhula. Ocorre na  Amazônia, Maranhão, Piaui quase todo o Brasil. Mata alta e pinheirais.
- Cicaba huhula albomarginata. Distribui-se do Rio de Janeiro a Santa Catarina.
- Ciccaba virgata (Coruja-de-bigodes; Mottled Owl). Tamanho: 34 cm.
- Ciccaba virgata superciliaris. Habita florestas da Amazônia.
- Ciccaba virgata borreliana. Matas do sul da Bahia ao Rio Grande do Sul.
- Strix hylophila (Coruja-pintada; Rusty-barred Owl). Ocorre no Sul e Sudeste do Brasil. Paraguai, norte da Argentina. Beira de mata. Tamanho: 35 cm.
- Rhinoptyrix (Asio) clamator midas (Mocho-orelhudo;Striped Owl). Habita áreas abertas com árvores.Ocorre em quase todo o Brasil, exceto na Amazônia. Tamanho: 37 cm.
- Otus sanctaecatarine (Corujinha; Long-tufted Screech Owl). Ocorre na região de Santa Catarina, havendo controvérsia se trata de uma espécie ou uma subespécie da anterior. Tamanho:
- Otus choliba (Corujinha-do-mato; Tropical Screech-Owl). Ocorre da Costa Rica à Bolívia, Paraguai e Argentina e em todo o Brasil, sendo um das mais  comuns, tanto na borda da mata quanto próximo as habitações humanas, onde vem a cata de insetos atraídos pelas luzes, principalmente dos postes. Eminentemente de hábitos noturnos. Tamanho: 22 cm.
Temos cinco formas:
- Otus choliba choliba. Sul do Brasil, Paraguai, Uruguay e norte da Argentina.
- Otus choliba crucigerus. Ocorre no baixo Amazonas e centro do Brasil.
- Otus choliba caatingensis. Nordeste do Brasil.
- Otus choliba decussatus. Leste do Brasil.
- Otus choliba chapadenssis. Sul do Brasil.
- Otus atricapillus (Corujinha-orelhuda;Long-tufted Screech-Owl). “Orelhas” desenvolvidas. Habita matas. Além do Brasil existe também no Paraguai, Argentina (Missiones) e Uruguai. Tamanho: 24 cm.
Duas formas no Brasil:
- Otus atricapillus atricapillus. Regiões centrais e sul do Brasil.
- Otus atricapillus argentinus. Região sul do Brasil.
- Otus watsonii (Corujinha-amazônica;Tawny-bellied Screech-Owl). “Orelhas” compridas Habita região florestada e palmeirais. Ocorre da Venezuela à Bolívia, Mato Grosso, Pará, Amapá. Tamanho: 22 cm.
Temos quatro formas:
- Otus watsonii watsonii. Ocorre no norte da Amazônia.
- Otus watsonii ater. Brasil central.
- Otus watsonii usta. Brasil central e norte da Argentina.
- Otus watsonii fulvescens. Brasil central até o norte da Bolívia.
- Otus guatemalae (Corujinha-de-Roraima;Vermiculated Screech Owl). Região norte de Roraima. Tamanho: 19 cm.
- Speotyto (Athenes) cunicularia cunicularia (Coruja-do-campo ou Coruja-buraqueira; Burrowing Owl). Ocorre em quase todo o Brasil, habitando as áreas abertas de campo, onde costuma nidificar nos cupinzeiros e em buracos no solo, tendo grande número de filhotes. Hábitos diurnos e noturnos. Alimenta-se de insetos. Tamanho: 23 cm.
Há duas formas no Brasil:
- Athenes cunicularia grallaria. Leste e no Brasil central.
- Athenes cunicularia cunicularia. Sul do Brasil até a Terra do Fogo.
- Aegolius harrisii iheringi (Caburé-canela; Buff-fronted Owl). Habita matas ralas e cerrado do Sudeste e Nordeste do Brasil, Paraguay e norte da Argentina. Tamanho: 20 cm.
- Glancidium minutissimum minutissimum (Caburé-ferrugem;Least Pigmy-Owl). Habita matagais abertos e florestas do leste e sudeste do Brasil, também ocorre na Guiana e Suriname. Tamanho: 14 cm.
- Glaucidium brasilianum brasilianum (Caburé;Ferruginous Pigmy-Owl). Habita as regiões florestadas, beira de mata e cerrado de quase todo o Brasil, sendo a menor das nossas corujas. Vocaliza tanto a noite quanto de dia, tendo sido observada na região do Pantanal vocalizando quase que ininterruptamente o dia todo. Tamanho: 16,5 cm.

 

 

 

 

Bibliografia consultada para a elaboração desta lista:

BURTON, J.A. ed.1973. Ows of the world: their evolution, structure and ecology. Milano, Librex. 216 p.
DUNNING, J.S. 1989. South American birds.  Newton Square,   Harrowood Books. 351p.
FRISCH, J.D. 1981. Aves brasileiras. São Paulo, Dalgas-Ecoltec Ecologia Técnica. 353 p.
HOWARD, R.; MOORE, A. 1991. A complete checklist of te birds of   the world. 2. ed. London, Academic Press. 622 p.
SCHAUENSEE, R.M. de. A Guide to the Birds of South America. ICBP, 1982. 498 p.
SICK, Helmut. Ornitologia Brasileira.
SOUZA, Deodato. Todas as aves do Brasil. Editora DALL. 1998.

———

Vide: Owls of Brazil  (PDF)

Temas Gerais

Temas Gerais Variados

Biblioteca

  • Atividades
  • Expediente
  • Mais de 20 anos de existência
  • Parceria / Apoio
  • Registros por espécie/Records by species
  • Sons da Natureza/Sounds of Nature
  • Videos