Anfíbios anuros (habitat e distribuição)

 

 

 

 

 

Os anfíbios anuros encontram-se distribuídos por quase todo o globo terrestre e em quase todos os ecossistemas. Porém, nas florestas tropicais é que encontramos a maior diversidade de espécies conhecidas. Das mais de 4.500 espécies descritas, cerca de 45% ocorrem na América Tropical.

A ausência de glaciações recentes, a estabilidade climática e da vegetação, a grande complexidade do meio e a grande quantidade de precipitações são fatores que fazem das florestas equatoriais e sub- tropicais ambientes favoráveis ao desenvolvimento de o maior número de espécies ( Duellman & Trub 1986). Dessa forma, as regiões florestadas do Brasil (Floresta Amazônica e Floresta Atlântica), têm merecido maiores estudos devido a exuberante de sua diversidade biológica .

A grande maioria dos anuros necessita de água para reproduzir e alto grau de umidade para sobreviver, de forma que nos ecossistemas úmidos como os das florestas é onde encontram o ambiente mais favorável para viver. No entanto, os anuros possuem grande facilidade de adaptação às mais diversas condições pluviométricas e de temperatura, necessitando muitas vezes de pequena umidade para sobreviver, o que permite encontra-los, também, em regiões áridas como na caatinga, pois são capazes de sobreviver nas mais extremas condições climáticas, passando às vezes meses praticamente sem se alimentar e em estado de hibernação.

Habitam as mais diversas altitudes, desde as restingas costeiras aos campos de altitude de 2.400 metros, como em Itatiaia – RJ, onde encontramos Melanophryniscus moreirae ( Miranda-Ribeiro, 1920 ) .

No solo da Floresta Atlântica (serapilheira) encontramos por exemplo, Eleuthodactylus parvus , binotatus e geutheri, além de B. ephippium e Procerathropes  boeie . Em suas bromélias Dendrophryniscus brevipollicatus, Gastrotheca fissipes e Aparasphenodon brunoi , só para citar alguns.

Nos lagos, lagoas e brejos encontramos principalmente os hylidae, como Hyla faber ,  Hyla minuta, Hyla prasina, Hyla albopunctata, entre outros .

Como dito por todo o Brasil encontramos os anuros; nas restingas, nas encostas rochosas marinhas, nos mangues, na mata atlântica, no cerrado, na caatinga, nos campos, nos campos de altitude e na floresta amazônica .

Em geral os anuros possui reduzida mobilidade, afastando-se poucos metros do local onde nasceram. Isto aliado a grande diversidade climática e morfológica do país, permite a ocorrência de grande número de endemismo, ou seja espécies que só ocorrem em determinado local ou ambiente. De outra parte, ante o fator de grande adaptabilidade aliado aos fatores ainda desconhecidos, alguns anuros acabaram por se distribuir por quase todo o Brasil, como  é o caso de Hyla minuta.

Bibliografia consultada

DUELLMAN, W.E. & TRUEB, L. 1986. Biology of amphibians. McGraw Hill Book Co., New York. 670 pp.

MIRANDA-RIBEIRO, A., 1920, Os Brachycephalideos do Museu Paulista (com três espécies novas). Rev. Mus. Paulista, 12:307-315, 3 pls.

—————-

Antonio Silveira: última atualização (disposição do texto): 09/11/2011

Temas Gerais

Temas Gerais Variados

Biblioteca

  • Atividades
  • Expediente
  • Mais de 20 anos de existência
  • Parceria / Apoio
  • Registros por espécie/Records by species
  • Sons da Natureza/Sounds of Nature
  • Videos
javaversion1