Rio Guaratuba-Bertioga-SP

No dia de 26 de março de 2010, fizemos (Antonio Silveira, Fábio Olmos, e Bruno Lima) uma visita técnica de barco de reconhecimento ornitológico-ambiental, na região dos manguezais, restingas, matas e varjões do rio Guaratuba, no Município de Bertioga, litoral norte do Estado de São Paulo, para obter informações e dados para eventual futuro levantamento da avifauna local.

Anteriormente fizemos (Antonio Silveira) um sobrevôo de helicóptero na região, o que motivou mais ainda a nossa visita de técnica ora relatada, ante a constatação da grande área natural ainda existente no local.
Trata-se de uma planície que vai da rodovia Rio-Santos até o sopé da Serra do Mar, composta de mangues, restingas e trechos de matas, com difícil acesso, pois não há estradas e só praticamente só é possível explorá-la de barco pequeno, o que fizemos, utilizando um barco de alumínio de 6m com motor de popa de 15HPs.
A vegetação composta de principalmente de caxetas (Tabebuia cassinroidis) e de matas de restinga, e o sinuoso rio Guaratuba e seus afluentes formam um ambiente de rara beleza cênica.

As observações foram feitas das 8:00 às 12:00 hrs e das 14:00 às 16:00 hs, por nós embarcados, pois não havia locais para descer e adentrar a mata, a não ser no final onde conseguimos descer em uma pequena clareira, provavelmente local de algum rancho antigo. Apesar do tempo chuvoso à tarde, deu para perceber que a área é muito interessante, pois além da beleza cênica, constatou-se que poderá apresentar um bom potencial ornitológico importante e de pouquíssimo conhecimento ornitológico.

Motivou-nos visitar o local, o fato de que desde a expedição oficial do Museu de Zoologia, feita pelo Dr.Hélio F.A.Camargo, em 1946, aos varjões do Guaratuba ( Sobre uma pequena coleção de aves de Boracéia e do varjão do Guaratuba –Estado de São Paulo, papéis avulsos do Dep. de Zool. Da Secretrai da Agricultura-São Paulo, vol VII, nº11-pp 143-164),pouco ou nenhuma outra visita ornitológica foi feita na região. Fizemos a viagem ao contrário, isto é do litoral para o sopé a Serra do Mar, enquanto ele partiu dos altos da Boracéia e desceu até o varjão do rio Guaratuba, no iníco desde rio, no sopé da serra. Não conseguimos chegar aos citados varjões propriamente dito, devido as árvores caídas que nos impediam de prosseguir até o “pé-da-serra”, mas chegamos próximos e pudemos constatar inúmeras espécies de aves interessantes para o local como o macuco (Tinamus solitarius; Solitary Tinamou), o jaó-do-sul (Crypturellus noctivagus; Yellow-legged Tinamou), o Capitão-da-mata (Attila rufus; Gray-hooded Attila), o Capitão-castanho (Attila phoenicurus; Rufous-tailed Attila),  este última ave incomum em áreas baixas litorâneas, Notharchus swainsoni; Macuru-de-barriga-castanha (Notharchus swainsoni; Buff-bellied Puffbird) e a Garça-real (Pilherodius pileatus; Capped Heron), entre outros. Foram cerca de 75 espécies constatadas.

Ante a exuberância do local e os seus poucos registros ornitológicos, pretendemos fazer estudos e um levantamento das aves locais para dar subsídios ao turismo de observação, e a preservação desta área tão singular do litoral paulista.
Coordenada geográfica de referência: 23º 45’ 10.83” S   45º 53’ 41.95” O

por Antonio Silveira

————————————

Antonio Silveira: last update: 29-8-2012.

Temas Gerais

Temas Gerais Variados

Biblioteca

  • Atividades
  • Expediente
  • Mais de 20 anos de existência
  • Parceria / Apoio
  • Registros por espécie/Records by species
  • Sons da Natureza/Sounds of Nature
  • Videos